Quais painéis do Cannes Lions 2013 você mais gostou? Por quê?

Importante afirmar que era humanamente impossível assistir a todos os paineis que achava interessante. Pouco tempo para  muita informação, muito a fazer, muito a ouvir, muito a aprender. Para citar os que mais se destacaram:

“ You can’t trust in marketers, da Adobe, mostrando que cada vez mais, temos que trabalhar com a verdade;

“The Coca-Cola company: work that matters” –sensacional restrospectiva de campanhas inesquecíveis da Coca;

“Hemingway, Dickens and Michelangelo: the best agency ever?” porque quem não gostaria de ter um planejamento, redator e diretor de arte como esses;

“Annie Leibovitz, Disney e Mcgarrybowen”, porque foi leve, focando em uma campanha maravilhosa para a Disney;

“Times Warner com o comediante Conan O’Brien, divertidíssima;

“New Directors Show Case”, filmes imperdíveis, como sempre;

Sem contar que bastava estar perto de atores, diretores, cantores, personalidades incríveis como: JackBlack, Sean Diddy, Alan Parker, Lou Reed, Vivienne Westwood, aliás, os 3 últimos aplaudidos de pé.

Quais trouxeram mais insights para o trabalho na 2004 Comunicação? Por quê? Como aplicá-los na agência?

Na verdade, cada segundo que se passa em Cannes pode trazer algum insight, até em conversas e contatos com outros profissionais. Acredito que o pacote todo vai contribuir para o nosso trabalho. Por exemplo, um painel da IPG e WLN ( Women’s Leadership Network) entitulado  “Conversations on Women in the Advertising, Marketing and Media Industry”. Um bate-papo com mulheres incríveis e superpoderosas de empresas mundiais, presidentes, vice-presidentes, CEOs, sócias, etc, focou uma pesquisa mundial, mostrando que as coisas no nosso Mercado não mudam muito, só de cidade ou país. É a natureza humana, as qualidades das mulheres e sua atuação. Como sócia e diretora de criação de uma agência que, de 35 profissionais, 30 são mulheres, foi bastante proveitoso.

 Como você analisa a experiência do Cannes Lions 2013? O que te surpreendeu? Qual o maior aprendizado?

Essa foi minha sétima vez em Cannes. E a cada ano, novas experiências, muito a descobrir. Este ano foi especialmente incrível, não sobrou tempo para acompanhar tantos seminários, workshops, paineis, as mais diversas mídias e canais de comunicação, fora os tradicionais short lists de TV/cinema, radio, press, outdoor, design, que faço questão de acompanhar de perto. Nossa indústria cresceu espantosamente. A materia-prima nossa profissão utiliza é interessante, cativante, instigante. Realmente “eu amo muito tudo isso”.

Após a experiência em Cannes, você pretende trabalhar este ano com algum foco para Cannes, com o objetivo de inscrever alguma peça no próximo ano? Por quê?

Não, meu foco não será ganhar prêmio em Cannes. Meu foco sempre será a estratégia, criatividade e resultados reais para os clientes da 2004 Comunicação. Se algum de nossos trabalhos, realizados de verdade, trouxer essa oportunidade, ótimo, maravilhoso. Estamos focados nos consumidores de nossos clientes, que querem mais verdade e razões para acreditar no que contamos a eles. E pra isso, cada vez mais temos mais canais de comunicação e menos tempo pra prender a atenção deles. Amo publicidade, amo criatividade, adoraria ganhar um leão, mas resultados no mundo real é que são reais.